A população de origem palestina que vive no Brasil demonstrou toda a sua força e coragem no 10º Congresso da Federação Árabe Palestina do Brasil – FEPAL, realizado nos dias 26, 27 e 28 de abril, em Porto Alegre/RS. No momento mais adverso da história das relações diplomáticas brasileiras com a Palestina, representantes de 27 comunidades – de nove estados, mais Distrito Federal – se  reuniram para celebrar sua identidade, reorganizar os quadros da entidade e definir ações de promoção da Causa Palestina no país.

Foi o maior encontro de descendentes e imigrantes palestinos registrado no Brasil até hoje. Durante três dias, o Hotel Embaixador – mesmo local do primeiro congresso promovido pela Federação, em 1980 –, se tornou uma pequena extensão de Jerusalém, capital da Palestina para muitos palestinos. Com a presença marcante de mulheres e jovens, de autoridades e nomes históricos do movimento, o evento homenageou os 125 anos da imigração palestina no Brasil e os 40 anos da FEPAL.

Ibrahim Alzeben, embaixador da Palestina no Brasil, acompanhou todas as atividades do evento

O embaixador palestino no Brasil, Ibrahim Alzeben, principal interlocutor político da causa no país atualmente, acompanhou de perto a programação. Em todos os seus pronunciamentos, ele reforçou a importância da união e do equilíbrio para a construção de uma agenda positiva com o governo e com a sociedade em geral. Emocionado com o engajamento e a energia do público, e com a homenagem recebida no último dia do evento, declarou: “esse é o momento mais feliz em meus 11 anos de representação diplomática”.

“Esse é o momento mais feliz em meus 11 anos de representação diplomática”, disse Ibrahim Alzeben, embaixador da Palestina no Brasil

Cerca de 600 pessoas lotaram o auditório do hotel para acompanhar a cerimônia de abertura, sexta-feira à noite. Houve apresentações de danças folclóricas dos grupos Palestino Terra e Hayat e pronunciamentos de autoridades – entre elas Hussein Abdel Khaliq, diretor geral do Departamento de Expatriados da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), e Rafael Araya Masry, presidente da Confederação Palestina da América Latina e do Caribe (COPLAC). Como atestado da legitimidade da luta palestina por um Estado independente e soberano, a mesa reuniu figuras públicas de diferentes partidos e inclinações ideológicas.

Grupo Folclórico Palestino Terra foi uma das atrações da cerimônia de abertura

Na sua despedida como presidente da FEPAL, Elayyan Aladdin, reforçou a importância da unidade palestina para combater retrocessos

Na sua mensagem de boas-vindas, Elayyan Taher Aladdin, que no evento despedia-se da presidência da Federação, chamou a comunidade para uma nova era de integração e compromisso. “Temos muito trabalho a fazer. Precisamos da unidade do povo palestino aqui no Brasil, deixando diferenças de lado para dar as mãos àqueles que acreditam que o nosso país, como a grande nação que é, possa ser um ponto de equilíbrio em relação à Questão Palestina”, disse.

“Precisamos da unidade do povo palestino aqui no Brasil, deixando diferenças de lado para dar as mãos àqueles que acreditam que o nosso país, como a grande nação que é, possa ser um ponto de equilíbrio em relação à Questão Palestina”, disse o agora ex-presidente da FEPAL, Elayyan Aladdin, durante a cerimônia de abertura.

Ao longo de todo o sábado, profissionais de várias regiões do Brasil participaram de painéis e debates sobre história e cultura, memória e identidade, direito internacional e saúde, militância jovem e feminina. Participaram como painelistas o professor Salem Nasser, a jornalista e escritora Lúcia Helena Issa, o economista e antropólogo Hissa Mussa Hazin, a pesquisadora Luciana Garcia de Oliveira, o químico Hanna Yousef Emile Safieh, os médicos Cel. João Carlos Rodrigues de Azeredo e Sami El Jundi, e Emir Mourad, secretário geral da COPLAC.

Paralelamente, as comissões jurídica, financeira e de planejamento, assim como a juventude e as mulheres, definiam ações para os próximos anos, que foram apresentadas na plenária final, domingo de manhã, quando também foi realizada a eleição da nova diretoria da FEPAL.

Palestra sobre legitimidade, legalidade e justiça da Questão Palestina, apresentada pelo professor da FGV Salem Nasser, foi um dos destaques da programação

A jornalista e escritora Lúcia Helena Issa sensibilizou o público com o relato de sua convivência com mulheres palestinas refugiadas

O novo presidente da entidade é Ualid Rabah, empresário de 52 anos, natural de Toledo/PR, que vive hoje em Curitiba. Sua origem palestina está na cidade de Kobar (paterna) e em Arura (materna), ambas na Cisjordânia, na região de Ramallah. Em seu pronunciamento, Ualid agradeceu o empenho de todos na realização do evento, falou das ameaças externas e da importância da mobilização e da luta no contexto atual. À frente da federação, ele pretende conduzir um trabalho de valorização das bases, da juventude e das mulheres, e de integração das sociedades e associações que representam a Palestina no Brasil.

“Precisamos falar com o povo brasileiro e com a nossa comunidade, trabalhar em coordenação, com a FEPAL responsável por orientar e dar o caminho. Temos que aprimorar a forma como nos comunicamos, nossa política de finanças e a formação dos nossos quadros”, enumerou Ualid Rabah, presidente da FEPAL para o período 2019-2023, em seu discurso de posse.

“Precisamos falar com o povo brasileiro e com a nossa comunidade, trabalhar em coordenação, com a FEPAL responsável por orientar e dar o caminho. Temos que aprimorar a forma como nos comunicamos, nossa política de finanças e a formação dos nossos quadros. Precisamos ensinar para os nossos jovens o significado da Palestina, levá-los em missões pra lá, assim como comitivas de brasileiros e brasileiras que são solidários à nossa causa. Essas são algumas das nossas tarefas. Deus nos abençoe e nos permita essa luta. Palestina livre! Luta sempre e até a vitória!”, discursou.

Ualid Rabah, empresário de 52 anos, que vive em Curitiba, foi eleito presidente da FEPAL para o período 2019-202

A chapa Yasser Arafat | Diálogo Palestino | Jerusalém Capital da Palestina – eleita praticamente por unanimidade pelos 102 delegados presentes (houve uma abstenção) – é composta por:

Presidente
Ualid Hussein Ali Mohd Rabah

Vice-presidente
Fátima Ahmad Ali Sawalla

Segundo vice-presidente
Ayman Atta Mustafa Altell

Secretaria
Walid Shuqair

Secretaria adjunta
Hissa Hazin

Diretoria de Relações Institucionais
Eduardo Abed

Diretoria jurídica
Nasser Judeh

Diretoria financeira
Mamoun Imwas

Diretoria de Comunicação e Cultura
Yasmin Hadi

Secretaria das Mulheres
Ashjan Sadique Adi

Secretaria da Juventude
Siham Mohamad Baja

Secretaria de Assuntos Internacionais
Jihad Abu Ali

Secretaria de Assuntos para Refugiados
Faysa Ahmad Mohamad Saleh Abu Dawoda

Conselho fiscal
Regina Hamid
Nasser Othman Rahman
Mussa Hasan Mussa

Por decisão da comissão jurídica, nova diretoria da Federação agora é composta por nove diretores e três conselheiros fiscais